Finalistas do Pontes para Inovação apresentam soluções tecnológicas

07/Fev/2019 - 09:55

Empresas selecionadas foram apresentadas em evento no parque BioTIC, em Brasília (DF)

A fase final do Pontes para Inovação, iniciativa de fomento ao empreendedorismo voltada para startups e empresas do agronegócio que almejam crescer com adoção de tecnologias da Embrapa, selecionou oito agritechs finalistas: Agribela, Alluagro, Coimma, Ectare App, Macofren Tecnologias Químicas, ManejeBem, Shimejito e Sintecsys. As empresas apresentaram seus negócios e soluções tecnológicas em evento realizado no espaço da Embrapa no Parque Tecnológico BioTIC, em Brasília (DF), na quarta (30). A iniciativa conecta aceleradoras de startups, investidores, e empreendedores com a Embrapa e possibilita aos finalistas negociarem investimentos de até R$6 milhões, participação em programas de aceleração e instalação no Parque Tecnológico de Brasília (BioTIC).

O presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, destacou na solenidade de premiação das finalistas que investimentos em iniciativas de ciência, tecnologia e inovação são o caminho para o Brasil acelerar o desenvolvimento. Para Barbosa, é preciso ter uma visão ampla de inovação que contemple, principalmente, os agricultores mais excluídos das oportunidades de adoção de tecnologias agropecuárias. “Mesmo com tanta tecnologia, temos muita pobreza no Semiárido. Muitos têm só a enxada. Não precisa muito para darmos renda, dignidade e emprego ao Semiárido. Eles também precisam ser alvo do nosso esforço de inovação. Caso contrário, continuaremos sendo um país muito rico, mas também de miseráveis”, salienta.

O diretor de inovação e tecnologia da Embrapa, Cleber Soares, e o secretário de inovação Vitor Mondo ressaltaram que a estratégia de aproximação com setor produtivo e fomento ao empreendedorismo possibilita à Embrapa ampliar a capacidade de gerar valor para a sociedade. Para os gestores, a abrangência nacional e diversidade de temas da chamada Pontes para Inovação, que contou com participação de 27 Unidades da Embrapa, apontam para a tendência de fortalecer ainda mais ações que unam os atores do ecossistema de inovação na busca, por exemplo, de soluções conjuntas para problemas de algumas cadeias produtivas.

Para Renato Santana, sócio diretor da Macofren Tecnologias Químicas, a iniciativa possibilita ganhos a todos os parceiros. “O desafio para nós é entrar na era da indústria 4.0 e a concepção do edital do Pontes para Inovação é interessante por possibilitar avançarmos na maturação das tecnologias. Para a Embrapa chegar ao último nível de maturação tecnológica (TRL 9), por exemplo, e estar apta a inserir a tecnologia no mercado, ela precisa de parceiros. Estar inserido neste triângulo, que envolve a Embrapa, as startups e os investidores, é muito interessante para os empreendedores e nosso modelo de negócios valoriza a inovação aberta. Com esta iniciativa estamos conseguindo avanços proveitosos para todos os envolvidos”, enfatiza.

“Chegar ao final desta iniciativa nos mostra que temos um negócio com viabilidade técnica e econômica. A eficiência agronômica também é muito importante, e por meio da interação com a Embrapa e os parceiros, podemos alcançar a meta de tornar o controle biológico mais viável para o produtor rural”, comenta Gabriela Vieira Silva, empreendedora da Agribela, empresa finalista que desenvolveu as cápsulas Biodrop, utilizada, por exemplo, no controle do percevejo marrom na soja.

Os investidores também valorizam a possibilidade de avaliar o potencial de mercado, escalabilidade e diferenciais das tecnologias das empresas finalistas para contribuir com a expansão das empresas por meio de aporte de recursos financeiros. “As empresas do agro são fonte de valor para o País e a Embrapa é protagonista em ciência e tecnologia. Temos uma carteira 100% ocupada por startups e empresas do agro, e vemos potencial de crescer por meio de iniciativas como o Pontes para Inovação, que unem os diferentes atores do mercado”, avalia Marcelo Jardim, diretor da SP Ventures, empresa de venture capital parceira da Chamada.

Pontes para Inovação

Criada pela Embrapa e Cedro Capital em 2017, a chamada Pontes para Inovação conta também com a SP Ventures, Acceleratus, Cotidiano e Parque Tecnológico de Brasília (BioTIC) entre os parceiros da edição 2018. Participaram da chamada 72 empresas, das quais 26 apresentaram suas soluções para a comissão organizadora na segunda fase. As oito empresas finalistas iniciam agora as negociações para receber possíveis investimentos. Na edição de 2017, foram 42 empresas inscritas e sete finalistas, sendo que uma das finalistas, a GIRA, recebeu investimentos do fundo gerido pela Cedro Capital.

Fonte: Site Embrapa

logotipo da prefeitura de porto velho