Prefeitura intensifica preparativos para Fórum Amazônia+21, em maio

03/Mar/2020 - 09:40

O principal objetivo é buscar o desenvolvimento socioeconômico, evidenciando oportunidades de negócios e novos empreendimentos sustentáveis para a região

O fórum mundial Amazônia+21 acontecerá em Porto Velho, de 5 a 8 de maio. Será o maior fórum de desenvolvimento sustentável da Amazônia já realizado no Brasil e no mundo, com mais de 60 palestrantes nacionais e internacionais e uma extensa programação para promover o diálogo entre governos, empreendedores, setor produtivo, cientistas, pesquisadores, investidores e sociedade civil.

O principal objetivo é buscar, através da troca de experiências, o fortalecimento da identidade cultural e do desenvolvimento sócioeconômico da Amazônia, evidenciando as oportunidades de negócios que já existem e buscando a geração de novos empreendimentos sustentáveis para a região.

Para o presidente da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Marcelo Thomé, o Amazonia+21 pretende transformar as potencialidades da floresta em algo positivo para as comunidades e para o Brasil.

“Queremos ouvir as alternativas que a ciência e a academia nos trazem. A proposta deste fórum é iniciar diálogos permanentes para a busca continuada de soluções e alternativas de desenvolvimento sustentável", ressalta.

O fórum vai tratar de assuntos que serão divididos em quatro eixos temáticos: Negócios Sustentáveis; Ciência Tecnologia & Inovação; Cultura e Funding.

Além das palestras sobre os temas, haverá painéis, mesas redondas e espaço para diálogos e troca de informações entre os participantes, que poderão agendar e apresentar seus projetos durante a programação.

São esperados mais de 3 mil participantes oriundos de todo o Brasil e exterior, além da participação da comunidade local. O fórum também terá transmissão online para um público estimado em 250 mil pessoas. As palestras terão tradução simultânea em inglês, espanhol e português.

Palestrantes

Participam do Amazônia+21 nomes como o do pesquisador Carlos Nobre, um dos mais prestigiados climatologistas do mundo. Nobre trabalhou durante 35 anos no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e atualmente está no Instituto de Estudos Avançados da USP. É doutor em meteorologia pelo Massachusetts Institute of Technology, nos EUA, e um dos autores dos relatórios sobre aquecimento global do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas.

Juntam-se a ele outras dezenas de profissionais, como Marc Jean Dourojeanni, consultor internacional em bosques tropicais e manejo de áreas protegidas e que realiza um amplo trabalho de pesquisa internacional na área.

Outra palestrante do fórum será Deborah L. Wince-Smith, presidente e CEO do Council on Competitiveness, uma coalizão de CEOs, diretores de universidades, líderes trabalhistas e diretores de laboratórios, comprometida em impulsionar a competitividade dos EUA.

Ela tem mais de 20 anos de experiência como alta autoridade do governo dos EUA e atualmente responde pela Comissão sobre Roubo de Propriedade Intelectual Americana, como membro do Conselho Consultivo de Pesquisa Estratégica da Universidade de Purdue (SRAC) e como membro do Conselho de Ciência e Tecnologia da Sociedade do Japão (STS).

Amazônia

O desenvolvimento sustentável da região amazônica é tema urgente de debate mundial e o fórum será um espaço de diálogos sobre as questões que envolvem o tema.

Com mais de 7 milhões de quilômetros quadrados, a Floresta Amazônica é uma das maiores florestas tropicais do mundo e localiza-se na região norte da América do Sul. A Amazônia Internacional, composta por Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname, Venezuela e Guiana Francesa, representa 40% de todo o território desse conjunto de países. No Brasil, equivale a 61% do território e está presente em nove estados.

A Amazônia tem um dos maiores biomas e ecossistemas tropicais da terra e uma imensa diversidade de fauna e flora. A região mantém de 10 a 20% das espécies vegetais do planeta e 80% da fauna brasileira. A Bacia Amazônica representa a maior reserva de água doce do mundo.

A riqueza cultural dos povos da Amazônia impressiona. Tribos indígenas, comunidades ribeirinhas e cidades apresentam ao mundo uma diversidade socioambiental gigantesca, com ênfase na linguagem, cultura e costumes, dança, literatura e na preservação do ambiente. Por isso, é necessário e urgente debater o presente e, principalmente, o futuro dessa região.

O diálogo não se encerra ao término no fórum, em 2020. Além de dar início a uma série de propostas e empreendimentos, o Amazônia+21 quer criar, articular e mobilizar comunidades capazes de transformar positivamente o ambiente amazônico, promovendo a geração de novos negócios e o desenvolvimento sustentável da região em eventos anuais, que serão realizados até 2040.

O fórum é uma realização da Prefeitura de Porto Velho, da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho e da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia, com patrocínio master do SESI/SENAI e também do Governo do Estado de Rondônia, Sebrae e Energisa, além do apoio de diversas instituições, como RioTerra, ONU Habitat, OAB-RO, Frente Nacional dos Prefeitos, CDP, Climate Bonds Iniciative, UNIRON e Instituto Brasileiro Qualidade e Produtividade (IBQP), entre outras instituições.

Fonte: Comdecom

logotipo da prefeitura de porto velho